quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Cururu na Comunidade do Poço

Mestres cururueiros se reunem para celebrar festa tradicional

1
Texto e vídeo: Bruna Obadowski

Para quem mora na região central do Brasil é muito comum assistir ao cururu e siriri, representações da identidade mato-grossense. A cultura do cururu é tao intrínseca ao quotidiano mato-grossense que a viola de cocho (no cururu) tornou-se um dos motivos icnográficos que mais se destacam nessa seara aparecendo desde souvenires (porta-joias, chaveiros, pequenos enfeites) até como escultura em praça pública.

Cururu é um ritmo musical, é o repente, um combate poético, um desafio em trovas ao som de violas caipiras. É poesia pura.  Nasceu como canto religioso, marcado pela batida de péNas festas religiosas o cururu é cantado e dançado somente pelos homens.

Na poetica visual que sugerimos, está a tradicional Festa de São Sebastião da Comunidade do Poço, no município de Santo Antônio do Leverger, promovida pelo cururueiro e devoto de santo, Senhor Ataíde.

Os cururueiros se reunem e acompanham muitas das festas religiosas da baixada cuiabana, é um belíssimo processo de hibridações, ruptura e continuidade de uma tradição bela e rica.

 

 

jBYOb4oPXgQ