sexta-feira, 25 de maio de 2018
Texto: Ahmad Jarrah
Fotos: Ahmad Jarrah e José Medeiros

A caminhada era em chão de terra batida, uma porção de cachorros e bicicletas ocupavam a rua em um vai e vem. Dentro de uma casa, várias pessoas se apertavam, em uma pequena sala, com velas em punho. Todos acompanham um grupo de mestres cururueiros que iniciavam a celebração à São Benedito. A cadência e o ritmo da música leva as pessoas a um transe requisitado em todas as manifestações religiosas. A poesia e a beleza da simplicidade tomavam conta do local. E assim foi por onde passamos.

Poconé é dessa maneira, de uma sutil beleza, de riqueza encravada na terra como o seu ouro. As expressões misturam um ar de ingenuidade e convicção, as pessoas estão sempre de mãos abertas a receber. Não demorou para se sentir em casa, dividir momentos que ficariam registrados pelas nossas lentes.