sábado, 21 de julho de 2018

Registros do feminino pelas lentes de Elis

A fotografia de parto como presentificação da superação do corpo feminino

8
Texto: Bruna Obadowski
Fotos: Elis Freitas

Elis é uma das mulheres que descobriu que registrar o universo feminino no que ele pode ter de mais íntimo é transformador. A militância na humanização do parto e a importância das imagens para a sociedade é o que a move na fotografia. Com sua fala calma, sutileza nos gestos e leveza para carregar uma câmera, ela passa um dia, uma noite inteira e as vezes muito mais que isso à espera de um momento que dura alguns instantes, é o nascimento de uma nova vida.

Elis Freitas é fotógrafa há quatro anos. Começou a documentar partos após ter sua filha num parto domiciliar registrado por sua doula. Apesar de ser relativamente nova na fotografia, Elis sempre foi admiradora desde criança e já adulta passava dias a contemplar fotografias de nascimento de profissionais internacionais.

A fotografia de parto é uma das especialidades que tem ganhado seu espaço nos últimos anos, não atoa, afinal, registrar esse momento é além de documenta-lo, uma forma de afirmar a autonomia do corpo feminino e atestar que o handicap (defeito natural) é um dos maiores tabus que o feminismo conseguiu desconstruir.

Documentar partos, é em sua essência, conseguir desconectar da vida externa, sentar numa sala de parto ou na sala de uma casa e esperar quanto tempo for preciso para a parturiente dilatar, o bebe descer, coroar e por fim nascer. É essa a missão de Elis, em sua vida cotidiana, sempre à espera do bebê do mês, da semana ou do dia.

Há de se ter serenidade, paciência e, acima de tudo entender a história daquela mãe e a importância que terá esse bebê para aquela família. Não raramente ela ouve o quanto seu registro foi importante na vida de alguma mulher. Levando tudo isso em consideração, Elis encontrou e sem titubear documentou parte da história de Lulu.

Bruna Obadowski

O parto de Lulu

Lurdes, Lulu como a chamam, é uma das grandes histórias documentadas por Elis. Após perder as duas pernas em um acidente de transito aos sete anos de idade, Lulu usou sua determinação para seguir sua vida sem impedimentos.

Com uma história de superação e cercada de desafios, ela fez da maternidade uma experiência, onde o evento do parto tornou-se um grande símbolo de sua luta pela afirmação de suas capacidades e de sua independência, onde com muito carinho, Elis atravessou e presenficou tudo em imagens.


Por acreditar na ressignificação do parto através da fotografia, na potência que ela tem de mudar a opinião das pessoas e compreender a importância do nascer com respeito, que Elis decidiu mostrar através das fotos, como Lulu fez do parto um evento de transformação e superação.