sábado, 21 de julho de 2018

Uma tradição de quintal

Missa de família no quintal se transforma em grande festa cultural

9
Texto: Bruna Obadowski
Fotos: Ahmad Jarrah

Uma pequena missa no quintal de casa acabou se transformando em um evento cultural que mobiliza a população de Poconé, no pantanal mato-grossense, para louvar a Nossa Senhora de Fátima e São Benedito. Tudo começou há 17 anos atrás, quando Dona Leila assumiu a realização da missa após o falecimento do esposo. Ele era promesseiro de Nossa Senhora Aparecida e ela promesseira de São Benedito. A pequena família buscava manter suas tradições e o evento foi uma forma de alcançar isso, através do acolhimento de toda a população e da promoção das manifestações culturais locais, como a Dança dos Mascarados e o Cururu.

A família de Dona Leila é espírita, mas de maneira alguma deixa sobrepor suas crenças às tradições locais de adoração, assim, durante os três dias de evento a comunidade canta suas orações dentro de uma pequena capela, ornamentada com bandeirolas e imagem de dezenas de santos, capitaneados por São Benedito e Nossa Senhora Aparecida. As imagens são carregadas pelos devotos até o altar, acompanhadas por um grupo de cururueiros com seus ganzás e violas de cocho, abrindo as portas para a missa cantada.

A apresentação dos Mascarados é em devoção a São Benedito, realizada apenas por homens, que se vestem de damas e galãs com roupas de chitão em cores vibrantes e se ocultam em uma máscara de arame emoldurada em madeira e coberta por tinta. A dança tem movimentos rápidos com um intenso jogo de cores dos dançarinos de um lado a outro, girando os pés, rodopiando os vestidos ao som de uma banda com metais e percussão ao estilo das antigas bandas de coreto.

O cururu está presente em todos os levantamentos de mastro e procissões na cidade, está intrínseco às manifestações de fé na cidade e é um estimulante aos devotos. Tocado e cantado por homens, em sua maioria já senhores, o cururu celebra a religiosidade e cultura pantaneira, enquanto as novas gerações acompanham com admiração os anciões e despertam o desejo de perpetuar usa tradições.